A nova política de mercado do Vitória de Guimarães


O ano passado já no último dia de mercado o Vitória de Guimarães adquiriu 50% dos direitos económicos ao Tottenham de um jovem extremo inglês, com várias internacionalizações pelas equipas jovens de Inglaterra, desconhecido da grande parte dos adeptos, o seu nome é Marcus Edward.

Hoje, todos o conhecem, pois foi um dos melhores jovens da temporada que findou. É raro um clube português ir a um grande inglês buscar jovens com valor mas foi o que o Vitória fez e com grande sucesso, colocou-lhe uma cláusula de rescisão de 15M€ que hoje não parece assustar muito, não fosse a situação actual que se vive e provavelmente Marcus Edward já estava noutras paragens.

E eis que o Guimarães fez da excepção a regra no que toca a atacar o mercado, agora aponta a jovens jogadores, oriundos de formações estrangeiras endinheiradas, esta política poderá trazer enormes vantagens desportivas e económicas pois estes jogadores podem desenvolver o seu futebol na cidade de Guimarães e estão logo debaixo de olho de grandes equipas que necessitam de preencher as suas fileiras com jogadores de nacionalidade caseiras.

Assim, o Vitória já contratou:

- Elias Abouchabaka, um médio que encantou no Europeu sub-17 e que foi apelidado de novo Ozil;

- Noah Holm e Jung Min Kim que vieram das escolas de Red Bull Salzburg;

- Yann Aurel Bisseck que se estreou na bundesliga aos 16! anos;

- Nicolas Tie e Jacob Maddox oriundos do Chelsea, o último vencedor da Youth League e campeão europeu Sub-19 pela Inglaterra;

- Lyle Foster que obrigou a despender 1.2M no seu passe e que é presença assídua nas listas que distinguem as jovens promessas, inclusive está seleccionado para Golden Boy.

Estes são exemplos da nova política de mercado do Vitória, mostrando que se trabalha bem a nível de scouting na cidade do Minho e que estes jogadores, apesar de parecerem inacessíveis a um clube português que não os 3 grandes, na realidade não o são.

Agora resta-nos esperar e ver quantos deles seguirão as pisadas de Marcus Edward e deixarão a sua marca desportiva e, provavelmente, um enorme lucro no clube da cidade-berço.

Comentários

  1. A própria escolha do treinador tem a ver com esta ideia de juventude. A escolha é um pouco uma incógnita é certo mas a verdade é que é um treinador com experiência no treino dos jovens do Atlético de Madrid.
    No ano passado esta política já estava em curso e Tapsoba é o maior exemplo disso. Foi vendido logo no mercado de inverno e só essa venda já compensou todas as outras aquisições. Este ano é mais do mesmo. Compraram uns quantos jovens e se conseguirem vender um por bons valores já vai compensar todas as outras apostas.

    ResponderEliminar
  2. Gostei, não sabia das outras contratações todas.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Aqui não há lápis azul, aqui não há comentários rejeitados. Portanto: Escreve praí!